0



Os sete frigoríficos da JBS em Mato Grosso do Sul vão retomar as compras e abates na próxima terça-feira (24), conforme garantia dada pela empresa durante reunião na Governadoria no fim da tarde de sexta-feira (20). Em média, a empresa abate 6 mil bovinos por dia no estado.

Na reunião, ficou acertado que as assessorias jurídicas da JBS, da Assembleia Legislativa e do governo apresentarão ao juiz que determinou o bloqueio das contas da JBS a minuta de um acordo em que a empresa se compromete a oferecer bens em garantia para ressarcir o estado pela dívida acumulada, para que possa ter as contas desbloqueadas. O grupo assumiu o compromisso também de manter as atividades normais e o emprego dos cerca de 15 mil funcionários que atuam em Mato Grosso do Sul.

Segundo o governador Reinaldo Azambuja, o governo do estado vai calcular exatamente o valor que a JBS deve aos cofres estaduais, para que seja pago mais pra frente. “Manutenção da atividade, manutenção dos empregos, manutenção da empresa funcionando no Mato Grosso do Sul sem nenhum prejuízo daquilo que foi apurado e que está sendo discutido pela empresa e Secretaria de Fazenda que vai ser com certeza no momento oportuno ressarcido aos cofres estaduais e que tem também a discussão com o grupo J&F.”

“Chegamos a um bom termo com todos os envolvidos. A partir de terça-feira [24], estaremos retomando as atividades normais”, garantiu o presidente da Divisão de Carnes Brasil da JBS, Renato Costa, completando que a data foi definida por questões operacionais, pois na segunda-feira (23) mesmo já estarão sendo feitos os embarques dos bovinos para os sete frigoríficos da JBS no estado.

Reinaldo Azambuja destacou que a decisão anunciada por Renato Costa não se restringe ao setor frigorífico. “A JBS anunciou a manutenção de todas as atividades em Mato Grosso do Sul, a continuidade dos abates, do trabalho da Seara, da Eldorado”, disse o governador.

Durante a reunião, o presidente da Divisão de Carnes Brasil da JBS disse que, entre os investimentos que serão mantidos, está a ampliação da planta da empresa na saída para Sidrolândia, onda está sendo construído um prédio que abrigará o setor onde serão fabricados produtos fármacos, tendo como matéria-prima subprodutos bovinos, como sangue. Com G1

Postar um comentário

 
Top