0

O grupo de cerca de 30 homens estava distribuído em carros e caminhonetes, com armamentos como fuzis capazes de derrubar aviões, granadas e dinamite

Um policial civil foi morto ao trocar tiros com criminosos que atacaram a sede da empresa de segurança e transporte de valores Protege em Araçatuba, no interior de São Paulo, na madrugada desta segunda-feira, 16.

O grupo de cerca de 30 bandidos estava distribuído em vários carros e caminhonetes, com armamentos pesados como fuzis 0.50 (capazes de derrubar aviões), granadas e bananas de dinamite que foram usadas para explodir o cofre da empresa, de acordo com a Polícia Militar.
Eles conseguiram fugir levando uma quantia em dinheiro não revelada até o momento. Durante a fuga, atiraram contra o quartel do Comando de Policiamento do Interior (CPI-10) e atearam fogo em dois caminhões, bloqueando a saída de viaturas que poderiam persegui-los.
O policial civil seria um morador da região que ouviu os disparos e tentou impedir a fuga dos bandidos usando sua arma pessoal. Eles reagiram e o mataram. Não há informações sobre outros feridos durante o ataque.
A PM do município relata que a quadrilha agiu de forma planejada, conhecia o funcionamento da empresa e até os horários de plantão dos policiais. Antes de chegar à Protege, na Rua Dona Ida, no bairro Santana, renderam ao menos um caminhoneiro e o obrigaram a fechar a Rodovia Marechal Rondon para impedir o acesso a Araçatuba.
Desde o horário do ataque, foram acionados policiais militares e civis de toda a região para buscas na cidade e rodovias do entorno. Ninguém foi preso até o momento.

Postar um comentário

 
Top