0


Ademilson Lopes

A campanha eleitoral de 2018 já começou e é natural que os candidatos a presidente da República - em um país continental com 5.570 municípios – promovam e participem de eventos nas cidades mais populosas do Brasil. Contudo, Costa Rica, no interior de Mato Grosso do Sul - com menos de 30 mil habitantes e distante dos grandes centros urbanos -, foi capaz de atrair a atenção do presidenciável Alvaro Dias (Podemos), que cumpriu agenda no município na noite de terça-feira (28/08), onde ministrou palestra no 3º Circuito de Desenvolvimento da Tríplice Fronteira, promovido pelos poderes Legislativo e Executivo costarriquenses.

“É no interior que eu busco as energias para sobreviver às dificuldades, que eu aprendi que preciso ser honesto, que é preciso ser trabalhador, que é preciso ser decente, que é preciso dizer a verdade, que é preciso fazer aquilo que se promete. Foi no interior que eu aprendi a ser gente. Hoje eu vejo esse país governado por homens muito urbanos, que nunca colocaram os pés descalços no chão barrento do interior, para reconhecerem a força que vem do homem do campo, que carrega esse país nas costas. É por isso que eu deixei a cidade grande e vim aqui para Costa Rica para dizer: eu também sou da roça, nasci na roça e respeito a minha origem”, explicou Alvaro Dias, ao mencionar que ele nasceu no interior do Paraná, estado que o projetou para o cenário político nacional.

O 3º Circuito de Desenvolvimento da Tríplice Fronteira reuniu em torno de 600 pessoas, no Centro de Convivência do Idoso, em Costa Rica, entre elas o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Junior Mochi (MDB), o deputado estadual Eduardo Rocha (MDB), além de prefeitos, vereadores, juízes de direito, lideranças políticas, produtores rurais, empresários e a população em geral, tanto do município, como também de outras cidades de Mato Grosso do Sul, de Goiás e de Mato Grosso.

PALESTRA - Na palestra, com o tema “Refundação da República”, Alvaro Dias defendeu propostas para o desenvolvimento do país. Entre os projetos do presidenciável, ele disse que é necessário romper com o modelo político atual, que o senador paranaense classificou de corrupto. E para que haja essa ruptura, ele diz que não fará alianças com partidos envolvidos em escândalos de corrupção, caso seja eleito.

“De nada adiantam as promessas da campanha eleitoral, se nós não promovermos um rompimento com esse sistema de governança corrupto e incompetente, esse sistema do balcão de negócios, do aparelhamento do Estado, do loteamento dos cargos públicos, fábrica de escândalos de corrupção, que só beneficia os mensaleiros, os sanguessugas, os vampiros, os filhos do petróleo”, argumentou.

Em outro ponto da palestra, Alvaro Dias propôs a valorização do agronegócio brasileiro, por meio de uma série de medidas, como a desburocratização e a facilitação do acesso ao crédito e a melhoria da infraestrutura do transporte rodoviário, ferroviário, hidroviário e dos portos.

“Os agricultores brasileiros até hoje reivindicam melhores estradas para escoar a produção. Nesta região, produtores quebraram porque as rodovias levaram a maior parte do lucro. A agricultura brasileira alcança índices extraordinários, mas graças à capacidade, à competência e o esforço do produtor rural brasileiro. Os bons resultados se dão do lado de dentro da porteira, porque do lado de fora o governo é omisso e incapaz de atender às necessidades de logística, de infraestrutura, de armazenagem, não atende às necessidades de crédito”, enfatizou.

Para alavancar o agronegócio no país, Alvaro Dias também defendeu a desburocratização. “Quando se anuncia o crédito em Brasília (DF), até ele chegar ao produtor rural na ponta, o tempo já foi. Essa burocracia encalacra! A desburocratização é uma necessidade. Para se registrar um defensivo agrícola leva-se de sete a oito anos, para registrar uma patente demora 11, 12 anos. É difícil pagar impostos, é difícil exportar, é difícil importar. Fica difícil produzir, porque o governo atrapalha. Se o governo não atrapalhasse já seria grande coisa, imagina então se o governo ajudar o que acontecerá com a produção agrícola desse país”, enalteceu o presidenciável.

Alvaro Dias se posicionou contra a invasão de propriedades rurais por movimentos de reforma agrária e disse que se for eleito vai propor mudanças na legislação, com o objetivo de acelerar a reintegração de posse nos casos de ocupações de terras particulares. “Nós vamos alterar o Código de Processo Civil para determinar a reintegração de posse sumária, imediatamente após a eventual invasão”, garantiu.

Na palestra em Costa Rica, Alvaro Dias propôs a diminuição do número de impostos no país, além da redução da carga tributária incidente sobre os bens de consumo. “Nós temos que ter um modelo em que um tributo só engole seis dos atuais tributos, com a criação do imposto de bens e serviços, tributando mais na renda do que no consumo, porque os preços da gasolina, dos produtos no supermercado, se elevam quando o imposto é alto”, salientou.

O candidato também defendeu a isenção do imposto de renda para pessoas que ganham até R$ 5 mil por mês. “Com isso serão beneficiados 8 milhões de brasileiros, o que significa uma renúncia de receita de cerca de R$ 1,5 bilhões. O retorno vai vir com o consumo maior. O cidadão que ganha até R$ 5 mil vai consumir mais e o governo vai ter a compensação porque o comércio vai vender mais”, explicou Alvaro Dias. Em 2018, o limite de ganho mensal no Brasil para não ter que pagar imposto de renda é de R$ 1.999,18.

Na área de educação, o presidenciável propôs a construção de mais creches no país, para aumentar a capacidade de atendimento da educação infantil, de modo que o homem e a mulher possam trabalhar para garantir o sustento da família. Ele também afirmou que caso seja eleito, em seu governo serão construídas 500 escolas para o trabalho, que vão oferecer ensino técnico e capacitação profissional para 1 milhão de estudantes.

O presidenciável ainda defendeu o fim das vantagens salariais concedidas a políticos e membros do Judiciário brasileiro. “Nós vamos ter que começar a reforma pelo andar de cima, acabando com os privilégios das autoridades desse país. Essa história de auxílio-moradia, de aposentadoria de marajá, de salários acima do teto permitido pela Constituição, de verbas indenizatórias, de todos esses penduricalhos usados exclusivamente para aumentar salários, nós temos que acabar com isso pra valer”, pontuou.

Ao encerrar a palestra, Alvaro Dias reforçou que pretende convidar o juiz Sérgio Moro para ser o Ministro da Justiça do seu eventual governo, em caso de vitória nas urnas.

O presidente da Câmara de Costa Rica e um dos organizadores do evento, José Augusto Maia Vasconcellos, o Dr. Maia (DEM), avaliou positivamente a participação de Alvaro Dias no 3º Circuito de Desenvolvimento da Tríplice Fronteira. “É muito raro um município pequeno como o nosso, do interior, receber um candidato a presidente da República. Então, Costa Rica fez história, toda a população está de parabéns e tenho certeza que o senador levou uma excelente imagem na nossa querida Costa Rica”, ressaltou o vereador democrata.

FOTO/LEGENDA:

Foto 193: Alvaro Dias ministrou palestra para um público de cerca de 600 pessoas em Costa Rica. (Crédito: ASSEIM/CMCR).

Postar um comentário

 
Top