0



Os dois se declaram psicopatas e foram passear no shopping depois do crime

Dois adolescentes de 17 anos foram apreendidos nesta quinta-feira (13), suspeitos de matar Maria Ildonei Lima, 70 anos, na casa dela, no Jardim Leblon, no dia 1º deste mês, em Campo Grande. Os dois, sendo um o próprio neto, planejaram o crime no colégio e foram passear no shopping depois do ato.

Conforme o delegado Giuliano Carvalho Biacio, da 6ª DP, no Tijuca, os menores confessaram o crime e se intitulam como psicopatas.

Ainda segundo Biacio, os dois se encontraram na escola e disseram que naquele dia estavam com vontade de matar alguém. Eles fariam uma escolha aleatória, quando o neto lembrou de uma briga familiar antiga e apontou a avó como vítima.

Os dois foram até a casa dela, na noite de sábado, onde Maria Ildonei abriu o portão, e passaram cerca de uma hora na casa. O crime já estava decidido, inclusive porque eles levaram luvas cirúrgicas para não deixarem rastros.

A dupla, segundo a polícia, conversou bastante com Ildonei. Eles tomaram suco, inclusive um deles até lavou a louça da pia. O parente contou que, enquanto conversava com a avó na mesa, o amigo estava próximo a pia, já com a faca na cintura.
Delegado diz que crime é chocante pela frieza dos suspeitos ©Wesley Ortiz
Em dado momento, diz Biácio, o amigo do neto viu a vítima de costas e a golpeou no pescoço. Na sequência, o neto a esfaqueou no abdômem. No relato dois dois, antes de morrer, Maria Ildonei teria percebido que algo estava errado, já que os dois demonstraram nervosismo, como tremor.

Assim que concluíram o crime, os adolescentes limparam a cena do assassinato e usaram o sangue da vítima para escrever a data do crime em taças de vinho. O objetivo, segundo o depoimento deles, era fazer parecer um ritual satânico.

Minutos depois, os suspeitos foram para um shopping na avenida Ernesto Geisel. O delegado diz que os dois apresentam muita frieza e teriam relatado que não usaram droga nem beberam naquele dia.

A polícia já trabalhava com a hipótese do crime ter sido cometido por alguém conhecido, já que não há marcas de arrombamento na residência.

''Porque não houve obstrução para entrar na residência. É um crime que choca, não é normal alguém acordar com vontade de matar'', analisa o delegado. 

Na casa do amigo, foram encontradas arma de brinquedo, quatro facas, um punhal, canivete, crucifixo com caveiras, soco inglês e revistas cujo tema era psicopatia.

As famílias dos suspeitos disseram que eles nunca tiveram registro de violência na escola e não tem passagem pela polícia.

Os dois serão levados para a Unei, onde ficarão apreendidos provisoriamente por até 45 dias. A pena máxima, por serem menores de idade, é de três anos de internação ou até completarem 21 anos.

A morte

A professora e ex-diretora da (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Maria Ildonei Lima Pedra, 70, foi encontrada morta em sua casa na noite de sábado (01), no Jardim Leblon em Campo Grande. A casa de Ildonei estava revirada com o portão aberto e, a professora foi encontrada morta na cozinha da residência.

Um filho da professora tentou contato com a mãe no sábado, e como não conseguiu, um irmão da professora então foi até a casa, encontrou o portão aberto e Maria Ildonei já sem vida dentro da residência, que estava toda revirada. Junto ao corpo foi encontrado um crucifixo.
Fonte: TopMidiaNews
Por: Thiago de Souza e Amanda Amaral

Postar um comentário

 
Top