0

Uma entre muitas das diferenças, entre religião e as ciências Esotéricas - Hermetismo e nestas mais concretamente a Cabala, situa-se no que ao significado do orar se refere, aos seus objectivos e esta diferença, está na percepção como uma e outra vêm os fenómenos que o ser Humano considera acontecimentos resultantes da sua vivencia neste mundo, mais precisamente no que o ser entende por acontecimentos negativos que influenciam a sua vida e que são atributos do PODER SUPERIOR.


Enquanto as religiões ensinam o Homem a pedir a Deus que anteceda e mude o acontecimento percebido como mau a seu favor, pelo facto de o ser estar limitado na entendimento que tem dos vários fenómenos como sendo bons ou maus em relação a si (conceito de Egocentrismo). O Hermetista, entende e consegue colocar-se fora da percepção egoísta do ser, e quando ora, isto tem um outro significado que transcende o comum entendimento do significado da palavra.

 O Hermetistatenta entender o verdadeiro significado do que está por traz do acontecimento que aparentemente, devido ao Ego, é negativo. Ao procurar entender, também sabe que o que haverá a fazer é mudar em si algo, neste caso a percepção ao nível do acontecimento, para que o acto DIVINO que é sempre na essência BOM, seja percebido como tal, por ele próprio enquanto ser. Então, ele sabe que o que tem que mudar sempre, é o seu nível de percepção dos factos para que se dê a evolução Espiritual, o sentido da vida – chegar a entender em plenitude a vontade SUPERIOR e o Seu pensamento, conseguindo com isto, chegar a Ele.

Então para as ciências Herméticas, orar não é pedir a Deus que torne o que é desagradável para o ser, na nossa reduzida percepção, o que é uma situação má, numa situação agradável – vejamos que neste caso, o que se pede a DEUS é um puro acto de egocentrismo e esta é a visão das religiões. Mas para o Hermetista, qualquer acto vindo de DEUS é em essência BOM e serve uma SUPERIOR intenção – a intenção de nos fazer evoluir na escala espiritual como forma de chegarmos de novo a ELE. Assim, o que o Hermetista questiona, no acto que é a oração, é como conseguir libertar-se das limitações perceptivas do egoísmo que o fez cair na hierarquia celeste, para entender as instruções e intenções – a VONTADE SUPERIOR, de maneira a conseguir retornar ao SER no caminho inverso à queda – evolução espiritual. Assim para o Hermetista e para qualquer ser que se pretenda libertar do jugo da mentira que nos prende à ilusão da salvação através da devoção numa crença errada, o orar é na essência um exercício de reflexão executado fora dos instrumentos do Ego.




Postar um comentário

 
Top