0

“Me lancei na política há apenas seis meses e esse tempo não foi o suficiente para nos divulgarmos 100% na área política”, disse no interior

Odilon visitou os municípios da Costa Leste (Foto: Divulgação)
Atrás das pesquisas de intenções de voto para o governo de Mato Grosso do Sul, o candidato do PDT, Odilon de Oliveira, admitiu na terça-feira (16), durante campanha no interior, que não conseguiu melhor desempenho por falta de tempo na política.

“Me lancei na política há apenas seis meses e esse tempo não foi o suficiente para nos divulgarmos 100% na área política”, disse o ex-juiz ao cumprir agenda  nos municípios da Costa Leste.

A primeira pesquisa para o governo de Mato Grosso do Sul, realizada pelo instituto Ranking, aponta o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) na dianteira com 54,75% das intenções de voto, enquanto o candidato do PDT surge com 45,45%. 

Ele visitou Costa Rica, Paranaíba e Três Lagoas, onde venceu o primeiro turno com quase 52% dos votos, à frente do candidato do PSDB, Reinaldo Azambuja.

Apesar de lamentar o curto espaço de tempo para divulgar melhor seu nome como candidato ao Parque dos Poderes, Odilon, no entanto, disse que o fato de ir para o segundo turno representa um ganho grande e credibilidade. 

Em relação à votação que teve em Três Lagoas, disse estar satisfeito porque foi a primeira cidade no Estado que morou "após fugir da seca no Nordeste", região de origem de sua família. 

O candidato do PDT disse ainda que a vitória na cidade mostra que o PSDB "não vai bem no município, assim como no Estado".

Sobre pesquisas, disse que "isso não ganha eleição. "Eleição se vence na urna". 

PRESÍDIO COM ANDRÉ 

O candidato também falou da visita que seu filho, o vereador Odilon Junior fez ao ex-governador
André Puccinelli (MDB) na cadeia. 

Odilon disse que “não tem nenhum impacto” e que Odilon Júnior e o filho do ex-governador, André Puccinelli Júnior - que também está preso - são amigos.

Para Odilon, a exploração do fato revela que "estão tentando jogar meu nome no mesmo
lamaçal em que o adversário se encontra, mas não vão conseguir".

Preso desde 20 de julho deste ano acusado de desvio milionário de dinheiro público, o ex-governador determinou que o MDB apoie a candidatura de Odilon no segundo turno das eleições. 

Apesar disso, parte das lideranças emedebistas decidiu pedir votos para Reinaldo Azambuja. Há dias, os deputados estaduais reeleitos Eduardo Rocha e Renato Câmara reuniram prefeitos do partido e anunciaram apoio ao tucano. 

Postar um comentário

 
Top