0


O Comando Militar do Oeste desencadeou a tradicional Operação Ágata de Aço
Operação não tem prazo para ser concluída
O Comando Militar do Oeste desencadeou a tradicional Operação Ágata de Aço e coube a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (4ª Bda C Mec) de Douradosa missão de atuar na operação com um efetivo de 780 militares. O objetivo é o de coibir os principais crimes transfronteiriços, como narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, dentre outros.
A Operação que é parte do Programa de Proteção Integrada de Fronteiras (PPIF), e que foi criada por decreto em novembro de 2016, acontece sob a coordenação e integração de representantes do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), da Agência Brasileira de Inteligência (ABIn); do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas; da Secretaria da Receita Federal; da Polícia Federal; da Polícia Rodoviária Federal; da Secretaria Nacional de Segurança Pública; e da Secretaria-Geral do Ministério das Relações Exteriores.
Também para este ano, a Operação Ágata de Aço I visa intensificar a presença do Exército Brasileiro na faixa da fronteira oeste, na área de responsabilidade da 4ª Bda C Mec, no intuito de melhorar a eficácia das Operações Interagências, corroborando com o aumento da dissuasão e inibição das ações criminosas internacionais.
A 4ª Bda C Mec conduzirá operações militares em conjunto com as demais Forças e Órgãos de Segurança Pública e Agências federais, estaduais e municipais.
A operação iniciada não tem prazo definido para seu término e conta com a participação de tropas do Exército Brasileiro, atuando em coordenação com os Órgãos de Segurança Pública e de Fiscalização, como o Departamento de Polícia Federal, Departamento da Polícia Rodoviária Federal, Secretaria da Receita Federal do Brasil, Departamento de Operações de Fronteiras e Polícias Civil e Militar do estado.
Mais de mil e 900 militares e civis das esferas Federal, Estadual e Municipal estão empenhados em fortalecer a prevenção, o controle, a fiscalização e a repressão aos delitos transfronteiriços.

Fonte: https://www.douradosagora.com.br/noticias/capital/exercito-poe-780-militares-na-fronteira-para-combater-crimes-transfronteiricos

Postar um comentário

 
Top