0


Na última terça-feira (23), Claudenir Werli,um dos principais apoiadores do PSL e do presidente Jair Messias Bolsonaro, no município de Naviraí, postou um vídeo em sua rede social relatando a desfiliação do partido.
 
No vídeo, o jovem relata que os motivos de sua desistência do partido PSL não está relacionada à integridade moral das pessoas que pleiteiam gerir o partido, e sim, sobre as questões de competência e maturidade das pessoas que provavelmente irão administrar o partido no município de Naviraí. “Vejo que as pessoas que estão à frente do partido não tem nenhuma proximidade com as autoridades políticas locais e percebo que os mesmos não atingiram uma maturidade política suficiente para organizar a complexidade que é uma corrida eleitoral” Disse.
 
Claudenir Werli disse que tem um olhar mais amplo, onde se preocupa mais com a coletividade a nível de município e Estado e, pretendia colaborar na formação do partido de forma mais aberta, trazendo várias autoridades políticas e pessoas que são comprovadamente de caráter político conservador e de integridade moral preservada, somado à capacidade de discutir as questões ideológicas e técnicas no município, porém, acabou desistindo de permanecer no partido por perceber que os demais componentes da executiva não iriam acompanhar sua linha de raciocínio político.
 
Outro fator que também pesou muito, fazendo com que Werli desistisse de permanecer no grupo, foi o fato ocorrido no dia 26 de maio, quando em todo Brasil foram organizados manifestações em apoio as reformas que o presidente Bolsonaro precisava e, em Naviraí, Claudenir relata que teria chamado com antecedência para que o grupo que pleiteiam o partido ajudasse a organizar um ato em defesa do presidente e ninguém acatou a idéia, não foram no manifesto e nem se quer compartilharam os vídeos de convites que foram feitos. “É triste e injusto, no meio de tantos que querem integrar o partido do presidente e ninguém ajudou em nada a organizar um evento em defesa de Bolsonaro, é muita inércia, acabou sobrando pra mim organizar tudo sozinho, desde por carro de som nas ruas com anúncios, agilizar documentações para emitir às autoridades policiais dar segurança no evento e, gravar vídeos convidando as pessoas. O manifesto foi um sucesso, mas só ocorreu porque eu fiz a frente e tive que contar com ajuda de pessoas que não são do partido na organização” Reclamou Claudenir
 
Werli foi um dos principais apoiadores dos candidatos do PSL no pleito de 2018, além de ter sido um dos principais organizadores da maior carreata de apoio à Bolsonaro que ocorreu no município no ano passado, trabalhou de forma voluntária para 3 (Três) candidatos do PSL, sendo os eleitos, deputado Estadual Capitão Contar, Deputado Federal Tio Trutis e a Senadora Soraya Thronicke.
 
 
 
Ao justificar sua desistência, Claudenir não poupou suas críticas ao diretório regional ao reclamar que o Diretório Estadual do PSL deveria se preocupar mais e colocar uma pessoa capacitada para acompanhar a formação dos diretórios nos 79 municípios, pois, segundo ele, futuramente um desses parlamentares eleitos podem lançar uma candidatura ao governo do estado e possam contar com os diretório municipais bem fortalecidos, “Fico triste de saber
que teve município no Mato Grosso do Sul, onde pessoas sindicalistas, que trabalhou contra o Bolsonaro acabou se apoderando do partido, isso é algo que o diretório Estadual deveria ter mais atenção, até mesmo em respeito às milhares de pessoas que acreditaram em uma nova forma de fazer política” reclamou.
 
Em entrevista ao Jornal do Conesul, Werli disse, “Não me arrependo de ter votado na legenda completa do PSL, vejo que os candidatos que apoiei e que foram eleitos são os mais preparados politicamente moralmente para representar o população sul-mato-grossense, só acho que o responsável pela administração do partido no estado não pode deixar os diretórios à deriva, os trabalhos devem ser contínuos, não podem ter motivações só em épocas de campanha para que as pessoas possam de fato ver diferença e acreditar que a velha política está de fato sendo combatida. Faço essas cobranças porque trabalhei de forma voluntária e que assim quem o faz pode cobrar, diferente de muitos que recebem para apoiar seus candidatos durante o pleito eleitoral, aí não podem em hipótese alguma emitir uma opinião no sentido de cobrar algo que precisa ser ajustado” Concluiu.
 
Conservador e armamentista, Claudenir acompanha a política de forma incisiva desde 2004, foi professor de História e Geografia no município, atuou na função de Fiscal de Vigilância Sanitária, Ambiental e Epidemiológica e atualmente é membro efetivo do Conselho Comunitário de Segurança e trabalha na área de comunicação.
 
A reportagem do Jornal do Conesul tentou entrar em contato com algum representante do partido PSL em Naviraí, mais não tivemos exito.
 
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas
 
Claudenir Werli e Deputado Estadual eleito pelo PSL Capitão Contar.

Postar um comentário

 
Top