0

Jovens brasileiros de 23 e 24 anos, Ana Paula e Victor sentiram esta inspiração durante a Santa Missa
Ana Paula Meriguete e Victor Ribeiro, de Guarapari, no Estado brasileiro do Espírito Santo, se casaram em 16 de fevereiro deste ano, após dois anos e meio de namoro, e resolveram estender à celebração as suas convicções religiosas e o seu envolvimento com obras sociais: cinco dias após o matrimônio, eles ofereceram um jantar festivo a 160 pessoas carentes, entre crianças e seus familiares, atendidas por ações de apoio no Centro Social de Santa Mônica.
Ana Paula, de 23 anos, afirmou em entrevista à TV Gazeta:
“A gente começou a rezar para ver o que Deus queria de nós. E, rezando, a gente foi tendo várias confirmações. Não foi mais uma ação solidária. Para mim, foi marcante do início ao fim. Quando a primeira família entrou, a gente se emocionou bastante. E eu sei que foi muito importante e emocionante para eles também. Abri mão de algo em troca da paz que Deus deixou no meu coração”.
Victor, de 24, acrescenta:
“Durante o jantar, as crianças e até os pais delas vinham nos abraçar e dar os parabéns. A gente vivenciou aquilo realmente como a nossa festa de casamento. A gente recebe muito mais do que dá. A gente saiu de lá muito preenchido. Quando terminou o jantar, a gente olhou um para o outro e foi uma sensação de realização. O sentimento é de gratidão”.
inspiração veio durante uma Santa Missa em que se entoou “O meu Reino tem muito a dizer“, de J. Thomaz Filho e Frei Fabreti. Um trecho do canto, evocando o Evangelho de Lucas, recorda:
“Se uma ceia quiseres propor / não convide amigos, irmãos e outros mais / Sai à rua a procura de quem / não puder recompensa te dar / que o teu gesto lembrado será por Deus”.
Se no começo o casal encontrou resistência de amigos que achavam a ideia “uma loucura”, cada vez mais pessoas se prontificaram a ajudá-los à medida que o tempo passava e eles se sentiam inspirados pela iniciativa.
Victor comenta:
“A gente começou a somar forças. Amigos levaram a música ao vivo, uma empresa emprestou as cadeiras, outra emprestou as toalhas, a decoração, levou voluntários. Conseguimos pessoas para ajudar a preparar o jantar. No final, conseguimos algo muito melhor do que esperávamos”.
Como admitem os filósofos, “o bem difunde a si mesmo“. Ajudemos a difundir o bem sempre mais!
________
Com informações de Sempre Família

Postar um comentário

 
Top