0
No dicionário de línguas clássicas antigas são tantos os significados para a palavra caprichoso: contumaz, marroaz, obstinado, pertinaz, pirrónico, teimoso, turrão.
Cotidianamente uma pessoa caprichosa é sinônimo de uma pessoa organizada, que capricha em tudo. E quando se trata de caprichar nos pensamentos e ideias, tem uma maior facilidade de ampliar sua Criatividade.
———
“Pensar sem aprender torna-nos caprichosos, e aprender sem pensar é um desastre.”
Confúcio (551 a.C.– 479 a.C)
———

Foto: Reprodução

Realizar atividades e tarefas com Capricho é ser cuidadoso, delicado. É buscar fazer as coisas com  qualidade superior, ânimo, dignidade moral, coragem, valentia, cuidado, honradez. Praticar o capricho sadio é exercício para ser mais saudável.
Entretanto, existem pessoas que praticam caprichos que são nocivos. São os excessos praticados por obstinação, extravagância, vontade súbita mutável (infantilidade), inconstância, e que em muitas vezes são movidos por inveja, vingança, maldade, entre outros.
A pratica de atos nocivos ao outro gera consequências a si próprio. O exercício do capricho nocivo leva à sérias situações que contribuem com uma vida desprovida de boa saúde, até mesmo mental.
———
Era um capricho e nada mais,
Doce como um dia de abril,
Mas o seu olhar azul de anil
Roubou de vez a minha paz.
George Orwell
———

Foto: Reprodução

Martha Medeiros em seu artigo, “Capricho da simplicidade“, escreveu que simplicidade é ter capricho para tornar sua casa confortável, alegre e preparada não para uma foto ou uma festa, mas para ter história, ter capricho para escrever um e-mail mantendo certa diagramação e um português correto, ter capricho ao se vestir, deixando de se monitorar por grifes e valorizando mais o estilo. Capricho é cuidado e atenção, flores frescas nos vasos, unhas limpas, música em volume adequado, educação ao falar, abajures em vez de luz direta, um toque personalizado e uma pitada de bom humor em tudo: nas atitudes, no visual, até na bagunça do escritório, que uma baguncinha também tem seu charme.
———
Capricho na simplicidade
Para não perder a minha essência
Para não atravessar o limite da delicadeza
Para ser admiradora dos detalhes
Para sempre saber quem sou…
Felicity Secret
———

Foto: Reprodução

São as pequenas atitudes e atos que demonstram capricho. Para uns simples, mas para outros meio que complicado. Depende da forma que encara-se as situações. Obviamente quando se tem a coragem de se enfrentar (auto enfrentamento), o capricho nocivo vai sendo substituído pelo capricho sadio.
———
Digna é a atitude de quem é verdadeiro, que se ascende para o próprio domínio sem capricho e orgulho;
E faz-se simplesmente inquietante com um coração sem respostas, mas serenamente esperançoso;
Julio Aukay
———
Pense!
Confúcio foi feliz ao dizer que devemos aprender a pensar para não usarmos o capricho de forma negativa. “Pensar sem aprender torna-nos caprichosos, e aprender sem pensar é um desastre.” Confúcio (551 a.C.– 479 a.C)
Quem pouco pensa antes de agir, e costuma ser movido pelas emoções instantâneas, sem atentar para o aprendizado diário de saber lidar com as emoções, que são os caprichos nocivos, nada mais está fazendo do que defender o seu próprio ego (experiência que a pessoa tem de si mesmo).
Experimente caprichar nos seus pensamentos e emoções. Vale a pena tentar!

Com informações: Saia do Tom / Pensador
Por Josy Gomes Murta, da redação do Conexão Boas Notícias

Postar um comentário

 
Top